PETAR

O Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira é um dos mais antigos do Estado de São Paulo, criado no dia 19 de Maio de 1958, pelo Decreto Estadual 32.283 de 1958. A Unidade de Conservação conta com uma área de 35.712 hectares. O Parque visa proteger o rico patrimônio espeleológico e florestal natural da região do Vale do Ribeira. Localizado ao sul do Estado de São Paulo, próximo a divisa do Estado do Paraná. rio-betaryeO PETAR abrange os municípios de Apiaí e Iporanga e apresenta uma magnifica biodiversidade em todos seus ecossistemas. O Parque é considerado hoje uns dos maiores parque em cavernas do Brasil, tombado pela UNESCO como patrimônio da Humanidade a Unidade de Conservação abriga hoje cerca de 350 cavernas cadastradas pela Sociedade Brasileira de Espeleologia – SBE

Com vegetação de matas em ótimo estado de conservação, esta aliada pelos condicionantes geográficos com relevo bastante acidentado a região proporciona características próprias pelo Carste. Essa região esta próxima ao Atlântico Sul e recebe grandes quantidades de chuva onde é armazenada em cavernas subterrânea a região do PETAR, funciona como um reservatório de agua é considerado um grande potencial de agua e abastece boa parte de sua população ao entorno.

A região com visual paisagístico de primeira e relevo de alta  declividade proporciona deslumbrantes quedas de cachoeiras. Esta região esta inserida a Serra de Paranapiacaba. Com um das maiores províncias de cavernas do Brasil, essa região é riquíssima sua geologia local de rochas de calcário.

A natureza é perfeita em seus aspectos físicos e químicos através de aguas pluviais com teor saturado de acido carbônico é depositado ao solo com rico poder húmico que penetram em suas pequenas fraturas e fissuras rochosas, com o passar essas rochas se desgastam e abrem lindos e magníficos dutos, originando se as cavernas estalactites, cortinas e colunas estão juntas ao espetáculo magnifico da natureza. Essas formações são processos que levam há milhares de anos.

Nas cavernas do PETAR encontra – se inúmeros estudos relacionados a Biologia Subterrânea dentro de algumas delas está o Bagre Cedo ( Pimelodela Kronei ) A primeira espécie catalogada no mundo.

O principal alimento da caverna – se dá pelo mundo externo, que através de chuva, boa parte desse alimento é depositada dentro da caverna. Durante a visitação é possível observar algumas formas de vida no ambiente subterrâneo como: morcegos, aracnídeos, grilo de caverna.

O PETAR está inserido ao Mosaico de Unidades de conservação, dentro delas estão integradas outras unidades de conservação Parque Intervales, Carlos Botelho, Nascentes do Rio Paranapanema, Estação Ecológica Xitué e Áreas de Proteção da Serra do Mar. Sendo o Segundo Maior Corredor Ecológico, a região  consiste um amplo corredor de florestas com mais de ( 200.000 há ) permitindo a existências de espécies em extinção tais como o felino Onça Pintada, Mono Carvoeiro ou Muriqui, Lontra e Gavião Real.

Foto: Juliander ( Aventura Curitiba)
Foto: Juliander ( Aventura Curitiba)

Minerações e extrações foram uns dos contaminantes no passado que ameaçarão o PETAR, graças ao trabalho de fiscalização e esforços da preservação ambiental em conjunto com a comunidade local o local se encontra se bastante protegido.